fbpx

Teleassistência: o que é e como funciona esse serviço?

por eDialog / Há 1 mês
teleassistência

A teleassistência é a área da telemedicina que contribui para a assistência médica nas instituições de saúde. Ou seja, ela acontece quando faz-se uso de recursos tecnológicos em benefício do tratamento do paciente. 

Ao longo deste artigo vamos explicar detalhadamente como funciona esse serviço, suas vantagens, além de falar sobre a legislação em torno da prática. Continue lendo e fique por dentro!

O que é teleassistência?

A teleassistência é um serviço que utiliza a tecnologia para fornecer assistência e cuidados em saúde a distância, principalmente para idosos, pessoas com deficiência ou aqueles que necessitam de supervisão contínua. 

Portanto, este serviço é projetado para promover a independência e segurança dos usuários, permitindo que eles permaneçam em suas próprias casas, enquanto ainda recebem o apoio necessário.

Essa prática é particularmente útil para pessoas que vivem sozinhas ou estão em risco de problemas de saúde e acidentes domésticos. Ele oferece uma maior comodidade tanto para os usuários quanto para seus familiares, sabendo que existe um suporte disponível a qualquer momento.

Leia também: Como a telemedicina acelera o atendimento hospitalar na prática?

Como funciona o serviço de teleassistência? 

O serviço de teleassistência geralmente funciona seguindo alguns passos básicos. São eles:

1) Instalação do Equipamento

O primeiro passo é a instalação de equipamentos de teleassistência na casa do usuário. Isso pode incluir dispositivos como detectores de queda, botões de pânico, sensores de movimento, e equipamentos de comunicação que se conectam a uma central de monitoramento.


2) Central de monitoramento

Estes dispositivos são conectados a uma central de monitoramento, que opera 24 horas por dia. A conexão pode ser feita através de linha telefônica, internet ou tecnologia celular.


3) Monitoramento

Os dispositivos monitoram a atividade e a segurança do usuário. Por exemplo, um detector de queda pode enviar um alerta automaticamente se detectar uma queda. Da mesma forma, o usuário pode pressionar um botão de pânico para solicitar ajuda.


4) Resposta a emergências

Quando um alerta é recebido, os operadores da central de monitoramento entram em contato com o usuário através do sistema de comunicação para avaliar a situação. Dependendo da gravidade e das necessidades do usuário, eles podem contatar familiares, vizinhos, serviços de emergência ou profissionais de saúde.


5) Check-ins regulares

Além da resposta a emergências, a teleassistência também pode incluir check-ins regulares para garantir o bem-estar do usuário. Isso pode ser feito por meio de chamadas programadas ou monitoramento remoto da saúde.


Vantagens da assistência a distância

A teleassistência oferece várias vantagens para as instituições de saúde, melhorando a eficiência e a qualidade dos cuidados prestados. Listamos abaixo alguns dos principais benefícios:

  • Pode reduzir a frequência de visitas desnecessárias ao médico ou internações hospitalares. Isso alivia a pressão sobre hospitais e clínicas, permitindo que se concentrem em casos mais críticos;
  • Facilita o monitoramento contínuo de pacientes com doenças crônicas, como diabetes ou hipertensão;
  • Permite uma resposta rápida em situações de emergência, o que pode ser crucial para salvar vidas e prevenir resultados adversos;
  • Gera uma grande quantidade de dados sobre a saúde e o comportamento dos usuários. Estes dados podem ser analisados para ganhar insights valiosos sobre as tendências de saúde, eficácia dos tratamentos e necessidades dos pacientes;
  • Sistemas de lembrete para medicação e consultas virtuais regulares podem ajudar os pacientes a aderir melhor aos seus planos de tratamento, o que é crucial para o sucesso terapêutico;
  • Ao permitir que os pacientes permaneçam em suas casas, mantendo sua independência e conforto, a teleassistência contribui para uma melhoria geral na qualidade de vida;
  • A teleassistência facilita a comunicação contínua entre profissionais de saúde e pacientes, o que é essencial para o monitoramento e ajuste do tratamento.


Em resumo, a teleassistência oferece às instituições de saúde uma ferramenta poderosa para melhorar a eficiência dos cuidados, expandir o acesso a serviços de saúde, e melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Legislação sobre a teleassistência

A legislação brasileira em torno da teleassistência, ou telessaúde, tem evoluído nos últimos anos, especialmente com a Lei 14.510/22. Esta lei autoriza e define a prática da telessaúde em todo o território nacional, revogando a Lei 13.989/20, que permitia a telemedicina durante a pandemia de Covid-19. 

A nova legislação abrange todas as profissões da saúde regulamentadas e considera como telessaúde a prestação de serviços de saúde à distância, utilizando tecnologias da informação e da comunicação.

Um dos aspectos mais importantes da Lei 14.510/22 é que ela garante a autonomia dos profissionais de saúde para decidir sobre a utilização da telessaúde, permitindo que optem pelo atendimento presencial sempre que necessário. Além disso, a telessaúde deve ser realizada com o consentimento livre e esclarecido do paciente.

A legislação também estabelece a competência dos conselhos federais das profissões envolvidas para fiscalizar as normas éticas no exercício profissional da telessaúde. Alguns princípios fixados pela lei incluem a autonomia do profissional de saúde, o consentimento informado do paciente, a confidencialidade dos dados, e a responsabilidade digital.

Além disso, o Ministério da Saúde do Brasil tem regulamentado a telessaúde com o objetivo de ampliar o acesso à saúde em áreas remotas do país. Essa regulamentação estabelece diretrizes e critérios para os atendimentos por meio da tecnologia da informação, seguindo as orientações de órgãos como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Portanto, a legislação brasileira sobre telessaúde visa garantir a qualidade, segurança e eficiência dos serviços de saúde prestados à distância, ao mesmo tempo em que assegura a autonomia dos profissionais e o respeito aos direitos dos pacientes.

Leia também: Empresas de telemedicina: como funcionam e como escolher a melhor

Telemedicina na Mais Laudo

A Mais Laudo atua com o telediagnóstico, oferecendo o serviço de emissão de laudos médicos a distância para instituições de saúde. Dessa forma, clínicas e consultórios podem terceirizar essa prática, contribuindo para o aumento de produtividade em suas instituições, além da otimização do atendimento ao paciente. 

Portanto, com a contração dos nossos serviços, sua empresa pode ser dedicar mais a etapas mais estratégicas do atendimento médico e ainda manter a agilidade e a qualidade na entrega dos diagnósticos aos pacientes.

Entre em contato conosco pelo link e tire suas dúvidas sobre o serviço. 

OUTRAS PUBLICAÇÕES

Como funciona a telemedicina nos hospitais?

Nos últimos anos, o uso de telemedicina nos hospitais tem sido cada vez mais frequente em todo o mundo. Os recursos, que vão desde os laudos online até as consultas por videoconferência, proporcionam maior alcance, agilidade e qualificação no atendimento médico.  Por isso, entender e aplicar esses recursos de forma estratégica representa um dos caminhos […]
LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *