fbpx

Monitorização cardíaca: protocolos e melhores práticas para o procedimento

por maislaudo / Há 1 ano
Monitorização cardíaca: protocolos e melhores práticas para o procedimento

A monitorização cardíaca é uma prática frequente e de extrema importância na rotina hospitalar. O procedimento, que consiste na realização contínua do eletrocardiograma, deve ser realizado de acordo com protocolos padronizados e seguindo indicações meticulosas de preparo e acompanhamento.

Quer entender melhor sobre o procedimento? Continue a leitura e tenha acesso às seguintes informações:

  • O que é monitorização cardíaca? 
  • Protocolos de monitorização cardíaca
  • Indicações da monitorização cardíaca 
  • Melhores práticas para o procedimento 
  • Telemedicina como suporte para a cardiologia

O que é monitorização cardíaca? 

Como já mencionado, a monitorização cardíaca é o exame de ECG realizado continuamente no paciente. Ou seja, nesses casos, o registro das atividades elétricas do coração acontece em tempo real.

Em geral, esse procedimento é indicado para acompanhamento de pacientes em estado crítico. Portanto, o monitoramento serve para identificar qualquer arritmia de padrão rápido ou lento, garantindo assim o socorro imediato quando necessário.

A monitorização cardíaca evita quadros como o infarto do miocárdio, além de anormalidades como:

  • Taquicardia e bradicardia sinusal;
  • Taquicardia supraventricular e ventricular não sustentada;
  • Fibrilação atrial;
  • Atividade de marcapasso ventricular;
  • Bloqueios cardíacos;
  • Extrassístoles ventriculares e supraventriculares.

Protocolos de monitorização cardíaca

A realização do monitoramento com ECG continuamente requer a colocação de eletrodos periféricos que serão responsáveis por analisar o ritmo cardíaco.

Atualmente, existem dois padrões que são mais comumente utilizados em estabelecimentos de saúde. Eles indicam basicamente as cores e posicionamentos dos eletrodos para realização da monitorização cardíaca. Abaixo falamos sobre as características de ambos.

1. Padrão AHA

Essa padronização foi criada pela American Heart Association (AHA), empresa que é referência mundial em cursos e treinamentos para suporte básico e avançado de vida.

Os equipamentos que seguem os padrões da AHA possuem as cores branco, preto, vermelho, verde e marrom, sendo estes dispostos da seguinte maneira:

  • Branco (RA): no braço direito;
  • Preto (LA): no braço esquerdo;
  • Vermelho (LL): na perna esquerda;
  • Verde (RL): na perna direita;
  • Marrom: derivação precordial.

2. Padrão IEC

Essa padronização foi desenvolvida pela International Electrotechnical Commission (IEC), instituição responsável pela criação de padrões diversos de uma série de equipamentos tecnológicos.

Os equipamentos que seguem esse padrão são compostos pelas cores vermelho, amarelo, verde, preto e branco.

Os eletrodos são dispostos da seguinte maneira:

  • Vermelho (R – Right): no braço direito;
  • Amarelo (L – Left): no braço esquerdo;
  • Verde (F- Foot): na perna esquerda;
  • Preto (N – Neutro): na perna direita;
  • Branco: derivação precordial.

Indicações da monitorização cardíaca 

Essa modalidade de ECG é indicada para pacientes que passaram por procedimentos cirúrgicos como:

  • Cesariana;
  • Laparotomia exploratória;
  • Analgesia de parto.

Além disso, o exame também é indicado para pacientes com quadro de choque hipovolêmico, hipertensos, assim como casos de eclampsia, entre outras situações em que ocorrem distúrbios da atividade elétrica cardíaca.

– Leia também: Telemonitoramento de pacientes crônicos: como e por que investir neste serviço?

Melhores práticas para o procedimento 

Abaixo listamos algumas boas práticas que são fundamentais para a realização adequada da monitorização cardíaca. Veja:

  • Antes da aplicação dos eletrodos, o(a) médico(a) ou enfermeiro(a) deve estar com as mãos higienizadas;
  • Todo o material que será utilizado no exame deve estar disposto em uma bandeja (luvas, álcool, solução antisséptica, gazes e gel para os eletrodos);
  • O profissional que realizará o exame deve estar com EPI adequado para a realização do exame;
  • O procedimento deve ser explicado para o paciente, quando este estiver consciente;
  • Deve-se verificar se os conectores do cabo de monitorização estão dispostos adequadamente;
  • Deve-se selecionar na tela do monitor a quantidade de eletrodos de acordo com o cabo (se 3 vias ou 5 vias);
  • O profissional deve realizar a limpeza da pele do paciente com álcool 70% antes de colocar os eletrodos, assim como remover os pelos, quando necessário;
  • Os eletrodos devem ser posicionados de acordo com a padronização do aparelho.

Telemedicina como suporte para a cardiologia

A telemedicina veio para revolucionar e otimizar a medicina. Ela se fundamenta em procedimentos médicos que são realizados à distância, sejam eles direcionados à relação médico-paciente ou entre os próprios profissionais da saúde.

As estratégias utilizadas pela telemedicina englobam atendimento por videoconferência, capacitação de profissionais por meio de cursos à distância, discussão de casos clínicos complexos com especialistas no assunto, emissão de laudos à distância, entre outras possibilidades.

– Leia também: ECG online: entenda o que é, como funciona e suas vantagens

Emissão de laudos à distância: solução para exames de monitorização cardíaca 

A emissão de laudos de eletrocardiograma à distância veio para solucionar a necessidade de estabelecimentos de saúde contratarem equipe especializada para atender à demanda.

Ao optar por terceirizar o serviço, a clínica economiza com os custos que teria que arcar mantendo uma equipe exclusiva, e ainda garante a emissão de laudos mais ágeis e com mais qualidade.

Entenda melhor quais são os benefícios dessa prática:

  • Agilidade na entrega dos resultados: as empresas especializadas na emissão de laudos online contam com uma equipe de especialistas preparados para atender a sua demanda em menos de 24 horas. É possível também solicitar a priorização de exames que exigem maior urgência, estes podem ser emitidos em menos de uma hora.
  • Diminuição de custos: você elimina a necessidade de contar com um corpo médico para essa função. Portanto, sua equipe pode focar em etapas mais estratégicas, otimizando a produtividade de todos.
  • Garantia de qualidade: os laudos emitidos à distância são elaborados por médicos especialistas que vão garantir a qualidade na elaboração do eletrocardiograma com laudo.

Solicite um teste grátis em nossa plataforma e veja como o seu estabelecimento pode ser beneficiado com a telemedicina.

Banner no artigo "O que é telemedicina?" para teste grátis Mais Laudo

OUTRAS PUBLICAÇÕES

4 práticas para ter uma melhor eficiência em laudos médicos

A eficiência em laudos médicos é uma tarefa gerencial almejada em todos os estabelecimentos de saúde. Os gestores precisam estabelecer práticas para garantir produtividade ao menor custo e com a qualidade desejada. Por isso, é importante planejar, implantar e monitorar as atividades que propiciarão agilidade nos serviços, segurança dos dados clínicos enviados online e treinamento […]
LEIA MAIS

Marketing médico: boas práticas para implantar na sua clínica

O marketing médico é uma estratégia necessária nos dias de hoje. Porém, deve ser delineada de forma a não inserir informações tendenciosas ou que estejam em desacordo com as normas preconizadas pelo conselho de ética. Além disso, o atendimento clínico e os serviços prestados devem ser uma constante para propiciar satisfação dos pacientes que disseminarão […]
LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *