fbpx

Ressonância magnética do crânio: como é realizado o exame e quando indicar

por maislaudo / Há 3 semanas
ressonância magnética do crânio

A ressonância magnética do crânio é um exame de imagem que oferece uma visão detalhada das estruturas internas da cabeça sem a necessidade de procedimentos invasivos. Este exame é essencial para diagnosticar uma série de condições neurológicas e é um recurso valioso para profissionais da saúde na gestão de cuidados ao paciente.

Ao longo deste artigo você poderá conferir informações relevantes sobre esse tipo de exame. Continue lendo e tire suas dúvidas. 

O que é a ressonância magnética do crânio?

A ressonância magnética utiliza um campo magnético potente e ondas de radiofrequência para criar imagens detalhadas do interior do corpo. 

No caso específico da ressonância magnética do crânio, o exame foca na cabeça, proporcionando imagens detalhadas do cérebro e outras estruturas cranianas. Este exame é utilizado para avaliar pacientes que sofreram traumatismos, acidentes ou que apresentam sintomas neurológicos como dores de cabeça persistentes, por exemplo.

Ressonância magnética do crânio com contraste

Em alguns casos, a ressonância magnética pode ser realizada com o auxílio de um meio de contraste, geralmente o gadolínio, injetado por via intravenosa antes da aquisição das imagens. 

Este contraste permite uma visualização mais clara e detalhada de certas estruturas, como vasos sanguíneos, e é particularmente útil para identificar aneurismas, tumores e placas de ateroma.

Leia mais: Ressonância com contraste: o que é e como é realizado o exame?

Como é realizado o exame de ressonância magnética do crânio?

O exame de ressonância magnética do crânio é realizado em um aparelho de ressonância magnética, que é um grande tubo circular. 

O paciente deita em uma maca que desliza para dentro do aparelho. Durante o exame, é importante que o paciente permaneça imóvel para garantir a qualidade das imagens. 

O procedimento é seguro, com iluminação e ventilação adequadas dentro do aparelho.

Os poderosos ímãs do equipamento criam um campo magnético que, combinado com ondas de radiofrequência, gera imagens detalhadas das estruturas internas do crânio. 

Antes do exame, é necessário remover todos os objetos metálicos, pois eles podem interferir no funcionamento do aparelho e na qualidade das imagens.

Indicações para a ressonância magnética do crânio

A ressonância magnética do crânio é indicada para uma variedade de condições e sintomas, como por exemplo:

  • Aneurismas e Anormalidades Vasculares: A RM é essencial para identificar e avaliar aneurismas e outras anormalidades nos vasos sanguíneos do cérebro;
  • Acidente Vascular Cerebral (AVC): É uma ferramenta valiosa para o diagnóstico e monitoramento de AVCs, permitindo uma visualização detalhada das áreas afetadas;
  • Tumores: A RM pode detectar e caracterizar tumores cerebrais, ajudando na determinação de seu tamanho, localização e tipo;
  • Condições Degenerativas: Doenças como esclerose múltipla podem ser monitoradas com precisão utilizando a ressonância magnética do crânio;
  • Alterações Congênitas e Malformações: A RM é útil na identificação de anomalias congênitas e malformações cranianas e cerebrais;
  • Doenças da Hipófise: Este exame é essencial para a avaliação de condições que afetam a glândula hipófise.

Preparação para o exame

A preparação para a ressonância magnética é geralmente simples. O paciente deve informar ao médico sobre qualquer metal ou dispositivo eletrônico implantado no corpo, como marcapassos, próteses ou piercings, pois esses itens podem interferir no exame. 

Em alguns casos, pode ser necessário estar em jejum, especialmente se o exame for realizado com contraste.

Leia também: Tomografia x ressonância: afinal, como saber qual é melhor?

Duração do exame

O exame de ressonância magnética do crânio geralmente dura entre 30 a 40 minutos. No entanto, a duração pode variar dependendo da complexidade do caso e das informações necessárias para o diagnóstico.

Contraindicações

Embora a ressonância magnética seja um exame seguro, existem algumas contraindicações. Pacientes com marcapassos, próteses auriculares ou injetores automáticos de insulina geralmente não podem realizar o exame devido aos riscos associados aos campos magnéticos.

Banner para contato Mais Laudo

OUTRAS PUBLICAÇÕES

Angiotomografia coronariana: entenda o que é e como é realizado o exame

A angiotomografia coronariana é um exame de suma importância para a cardiologia. Logo, é fundamental que as instituições de saúde tenham domínio sobre as suas características e funcionamento.  Além disso, é interessante ter conhecimento de como as tecnologias podem ajudar a otimizar a realização desse exame.  Ao longo deste artigo vamos apresentar tudo o que […]
LEIA MAIS

Técnica Doppler: saiba a importância deste exame

A Técnica Doppler é uma das modalidades da ultrassonografia, realizada para observar como o sangue flui pela rede vascular e pelas cavidades do coração. O procedimento pode ser feito em qualquer porção circulatória do corpo. Ele auxilia no diagnóstico e na avaliação de doenças cardiovasculares, bem como no monitoramento da saúde materno-fetal, durante a gestação. […]
LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *