fbpx

Estresse ocupacional: o que é, principais causas e consequências

por maislaudo / Há 1 ano
Estresse ocupacional: o que é, causas e consequências

O estresse ocupacional é um dos vilões de instituições de todos os setores. Isso porque ele traz consequências como queda de produtividade, falhas na execução dos serviços e alta rotatividade na organização.

Quando nos referimos a área da saúde, essas consequências se tornam ainda mais preocupantes, afinal, erros e atrasos nesse setor podem trazer sérios problemas para o bem estar dos pacientes.

Por isso, é fundamental ter atenção aos sinais do estresse ocupacional e buscar formas de evitá-lo em sua instituição médica. Ao longo deste artigo você irá conferir tudo sobre o assunto. Continue lendo e tenha acesso às informações abaixo:

  • O que é estresse ocupacional?
  • Quais são as causas do estresse laboral?
  • Principais consequências do estresse ocupacional
  • Como prevenir o estresse ocupacional no seu estabelecimento de saúde?

O que é estresse ocupacional?

Estresse ocupacional pode ser definido como uma série de problemas físicos e emocionais gerados no ambiente de trabalho. Isto é, quando os colaboradores lidam com condições insalubres no trabalho, isso pode desencadear consequências para a saúde dos mesmos.

Além disso, quando o estresse ocupacional não é tratado, ele pode evoluir para a síndrome de Burnout, que é caracterizada pelo esgotamento físico e psíquico em decorrência do trabalho.

Os primeiros estudos sobre o estresse foram realizados em 1936, pelo pesquisador húngaro Hans Selye. Sua teoria foi que os sintomas do estresse passam por 3 fases sucessivas: alarme, resistência e esgotamento.

  • Alarme: nessa fase ocorre o primeiro contato com o agente estressor. É aqui também que iniciam-se os primeiros sintomas, que em geral costumam ser taquicardia, suor nas mãos, estado de alerta, entre outros;
  • Resistência: aqui nosso corpo busca resistir aos estímulos negativos, tentando voltar ao seu estado original. A tentativa em excesso de se manter estabilizado fisicamente e emocionalmente leva a sintomas como cansaço demasiado, mal estar, tontura, entre outros;
  • Esgotamento: por fim, quando o colaborador chega nessa fase, muito provavelmente ele já desencadeou algum tipo de doença, como ansiedade, depressão, entre outras.

– Leia também: Conheça as normas regulamentadoras da saúde ocupacional

medicos exaustos

Quais são as causas do estresse laboral?

Em geral, o ambiente de trabalho nos estabelecimentos de saúde é desgastante por si só e traz consigo uma carga emocional muito grande. Afinal, os trabalhadores desses locais lidam com questões delicadas como o bem-estar dos pacientes e estão diariamente em contato com situações que exigem o máximo de dedicação, seja ela física ou mental.

Por isso, pode-se dizer que a área da saúde é um setor que já é mais propício a levar seu capital humano ao esgotamento. Logo, cabe às instituições observarem quais são as principais causas desse quadro e buscar formas de minimizá-las.

Pensando nisso, listamos abaixo alguns fatores que podem desencadear o estresse ocupacional nesses locais. Veja:

  • Excesso de pressão na rotina de trabalho;
  • Longas jornadas de trabalho;
  • Falta de equipamentos para exercício da função;
  • Atraso nos pagamentos;
  • Falta de oportunidade para crescimento profissional dentro da instituição;
  • Lideranças abusivas.

– Leia também: Riscos ocupacionais: quais são e como fazer o gerenciamento?

Principais consequências do estresse ocupacional

O estresse laboral pode trazer consequências tanto para a saúde do trabalhador, quanto também para o estabelecimento de saúde. Afinal, quando os colaboradores estão insatisfeitos, em geral, eles não conseguem entregar sua melhor performance.

Veja a seguir as consequências do estresse para ambas as partes.

1. Consequências para o trabalhador 

A principal consequência do estresse ocupacional é a saúde, seja ela física ou psicológica. Um ambiente de trabalho insalubre pode trazer problemas sérios que podem evoluir para doenças como tensões musculares e até mesmo úlceras.

Além disso, essa situação pode levar o trabalhador a um quadro de ansiedade e/ou depressão tão grande que o impede de exercer sua profissão. Nesse caso, inicialmente vemos casos de absenteísmo, atrasos e, em casos mais sérios, até abandono do trabalho.

Outras consequências comuns do estresse ocupacional são o abuso de álcool e drogas.

2. Consequências para as empresas

Como mencionado anteriormente, as empresas também sofrem quando os colaboradores encontram-se em quadros de estresse. Listamos abaixo as principais consequências:

  • Queda na produtividade;
  • Aumento de falhas na rotina de trabalho;
  • Clima organizacional ruim;
  • Aumento na rotatividade da empresa;
  • Gastos com tratamentos de funcionários afastados;
  • Prejuízo para a imagem institucional da empresa.

Como prevenir o estresse ocupacional no seu estabelecimento de saúde?

Veja algumas dicas que podem ajudar sua empresa a evitar quadros de estresse ocupacional entre seus funcionários.

1. Invista em ergonomia 

Ergonomia é a ciência que visa a compreensão da relação das pessoas com as máquinas, equipamentos e condições de trabalho.

Ela considera fatores físicos, fisiológicos e psicossociais dos trabalhadores e do ambiente de trabalho. Em geral, está relacionada à forma como o ser humano executa seu trabalho, por isso, visa adaptações no ambiente que possam proporcionar maior conforto e segurança em suas rotinas.

Ao trabalhar a ergonomia no trabalho, os colaboradores ganham um ambiente adaptado às suas necessidades e com minimização dos riscos à saúde. 

Já a instituição ganha funcionários mais satisfeitos e engajados, o que influencia diretamente na produtividade do negócio.

2. Invista em oportunidades e benefícios 

Todo trabalhador precisa sentir que o seu trabalho está sendo valorizado, assim, ele consegue performar com mais motivação. Por isso, cabe à empresa criar um plano de carreira que valorize o esforço do seu funcionário, de forma que ele sinta que ali há espaço para crescer profissionalmente.

Além disso, criar benefícios também é interessante para fazer com que os colaboradores sintam-se valorizados. É o caso, por exemplo, de bônus, acesso a cuidados físicos e mentais, day off de aniversário, entre outros.

3. Dê feedbacks

A prática de feedback é uma forma de dedicar um tempo exclusivo para cada funcionário, ou seja, de valorizar a sua participação e avaliar o seu desempenho na empresa.

Por isso, dedique um tempo para ser franco com seus funcionários, reconhecer o bom desempenho e dar orientações quanto às melhorias necessárias.

4. Invista em atividades físicas 

Em estabelecimentos de saúde é comum que os funcionários fiquem horas em pé e estejam em constante movimento. Logo, a empresa pode investir de tempos em tempos na contratação de profissionais que vão ajudar a melhorar o preparo físico de seus funcionários. Um bom fisioterapeuta ou educador físico pode ser útil para ajudar na prevenção do estresse ocupacional.

Além disso, estimular práticas como alongamento e massagens pode ajudar na melhora do bem-estar de todos.

– Leia também: 3 benefícios da tecnologia para clínicas de saúde ocupacional

OUTRAS PUBLICAÇÕES

Conheça as normas regulamentadoras da saúde ocupacional

Conhecer as normas regulamentadoras da saúde ocupacional é importante para manter o ambiente de trabalho isento de problemas com os funcionários e adequado à legislação vigente. Para tanto, é essencial conhecer os subtópicos que se aplicam às clínicas de saúde, planejar a implementação das etapas a serem cumpridas e monitorar a efetividade por meio de […]
LEIA MAIS

Qual a diferença entre eletroencefalograma ocupacional e clínico?

Tanto o eletroencefalograma ocupacional quanto o clínico são responsáveis pela avaliação da atividade dos impulsos elétricos do cérebro. Contudo, eles se diferenciam quanto ao seu objetivo diagnóstico. Explicaremos melhor sobre as características de cada um dos exames no texto abaixo. Continue a leitura e tire suas dúvidas sobre o tema.  O que é o eletroencefalograma? […]
LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *