Entenda como funciona a logística em uma clínica de saúde

por maislaudo / Há 10 meses

A logística em saúde é uma estratégia que precisa ser bem delineada para evitar a ruptura de estoque dos insumos essenciais, ao mesmo tempo em que promove a racionalização dos custos com a aquisição de mercadorias.

Para tanto, é importante investir na capacitação dos gestores e em um sistema de gestão eficiente, realizando o acompanhamento contínuo dos processos, de forma a propor mudanças quando necessário.

Quer saber mais sobre como funciona a logística em uma clínica de saúde? Então, não perca as informações que daremos neste post!

Afinal, o que é logística em saúde?

Trata-se de um conjunto de operações que visa à aquisição racional dos insumos clínicos, considerando o estoque do estabelecimento, a movimentação dos itens, as condições de armazenamento e a gestão de compras.

Para tanto, os gestores devem atentar a cada etapa do processo logístico para não comprometer as rotinas subsequentes e impactar na assistência à saúde, uma vez que os materiais e medicamentos devem estar disponíveis em qualidade e quantidade necessárias.

Além disso, a programação eficiente desse processo evita aquisições emergenciais, que, em sua maioria, são de alto custo, ou empréstimos em empresas parceiras, situações que dependem da disponibilidade de estoque.

Como melhorar a logística em uma clínica?

Para garantir o estoque adequado, é imprescindível analisar os passos relacionados ao consumo, à programação, ao armazenamento e à aquisição dos insumos farmacêuticos. Veja a seguir!

Realizando o planejamento de estoque

Essa etapa é crucial para manter as quantidades desejadas dos medicamentos e materiais e evitar os desperdícios daqueles que estão em processo de obsolescência.

Além disso, é preciso considerar os itens que podem ser substituídos por outros e aqueles com custos mais elevados, conforme classificação das curvas XYZ e ABC. Em seguida, deve-se monitorar a movimentação dos insumos por meio das saídas para dispensação, transferências, perdas, empréstimos etc.

Prevendo demandas e evitando imprevistos

Esse tópico talvez dependa da experiência do gestor e de alguns fatores sazonais. Isso porque algumas variações da demanda são esperadas, enquanto outras são mais difíceis de mensurar.

No primeiro caso, pode-se citar o aumento da demanda em decorrência das variações climáticas que impactam significativamente no consumo de medicamentos e materiais médicos ou mesmo o período em que ocorrem mais cirurgias eletivas, além da mobilização de consultas devido a campanhas já consagradas, como o novembro azul.

Instituindo o cadastro de fornecedores

Após um levantamento fidedigno do estoque, da quantidade a ser adquirida e do espaço destinado ao armazenamento de produtos, é preciso obter informações importantes sobre os principais fornecedores.

Nesse contexto, é aconselhável obter a documentação que comprove a idoneidade e a regularidade da empresa perante os órgãos fiscalizadores, quais sejam: vigilância sanitária, corpo de bombeiros, conselhos profissionais e aqueles para abertura e funcionamento das empresas.

Fazendo uma aquisição racional

Mediante uma programação dos itens de maior consumo, considerando ainda os fatores sazonais e a previsão de demandas, é possível fazer uma aquisição de insumos de forma eficiente.

Para tanto, é fundamental analisar o prazo de entrega, as condições de pagamento, a idoneidade da empresa, as informações sobre o transporte dos insumos farmacêuticos, dentre outros dados.

Planejando um armazenamento eficiente

Uma vez que os insumos farmacêuticos estejam na clínica, é recomendável armazená-los em condições adequadas para evitar contaminações físico-químicas e microbiológicas, bem com a deterioração das caixas devido à sobrecarga física.

Sendo assim, é importante manter pallets para a guarda das caixas, considerando o empilhamento máximo estabelecido pelo fornecedor, fazer o controle periódico de pragas urbanas e registrar diariamente temperatura e umidade do ambiente.

A logística em saúde é uma ferramenta imprescindível para manter a organização e o controle de movimentação dos insumos farmacêuticos, bem como para aperfeiçoar a assistência à saúde e a estabilidade financeira da clínica. Dessa forma, é importante seguir adequadamente as etapas, prever situações clínicas e manter uma gestão de operações efetiva.

E você, ainda tem dúvidas sobre esse processo? Então, não deixe de assinar nossa newsletter e ficar por dentro de assuntos da área de gestão em saúde!

OUTRAS PUBLICAÇÕES

Entenda como funciona o teste ergométrico

O teste ergométrico é um exame bastante comum que serve para avaliar o funcionamento cardiorrespiratório durante o esforço físico. Durante o exame, é feito o registro do eletrocardiograma e da pressão arterial, além de serem observados o comportamento da frequência cardíaca e a ocorrência de possíveis sintomas. Dessa maneira, trata-se de um exame essencial para […]
LEIA MAIS

Entenda a importância dos EPIs para Biossegurança em sua clínica

EPIs para biossegurança são acessórios importantes no contexto da proteção da saúde do trabalhador. Além da utilização correta, é importante que o indivíduo entenda os propósitos de segurança no ambiente laboral. Para tanto, é imprescindível fazer um levantamento dos principais riscos ocupacionais, adquirir a quantidade necessária desses itens para cada trabalhador e orientá-los sobre a […]
LEIA MAIS

Como investir em tecnologia na saúde para sua clínica?

A tecnologia da informação implantada nas clínicas de medicina ocupacional deve ser sempre considerada como um investimento. Isto porque algumas tecnologias utilizada nos serviços de saúde podem atrair novos clientes e favorecer o crescimento da empresa. Porém, essa implantação deve ser pensada de forma estratégia para não comprometer o fluxo de caixa já existente. A tecnologia na saúde […]
LEIA MAIS